Valorização dos Imóveis mostra estabilidade em 2019, após 2 anos de recessão

Home  >>  Imprensa  >>  Valorização dos Imóveis mostra estabilidade em 2019, após 2 anos de recessão

Valorização dos Imóveis mostra estabilidade em 2019, após 2 anos de recessão

   Imprensa   janeiro 9, 2020  Comente Visualizações: 284

No ano de 2019, o preço médio de venda dos imóveis residenciais anunciados em 50 cidades brasileiras estabilizou, após dois anos seguidos de queda nominal (desconsiderando a inflação)*. BBG-BLOG-09_01

Descontando a inflação esperada para o ano passado (IPCA acumulado de 4,13%, segundo o Boletim Focus), o preço médio dos imóveis registra queda de 3,97% em 2019, marcando, assim, o quinto ano consecutivo de desvalorização em termos reais.

Em dezembro, os preços ficaram estáveis com relação a novembro de 2019, segundo a pesquisa.

 

Capitais brasileiras

Dentre as 16 capitais monitoradas, as maiores altas nominais no preço médio dos imóveis foram verificadas em Manaus (+3,61%), Vitória (+3,57%) e Florianópolis (+3,31%).

Já as maiores quedas aconteceram em Fortaleza (-8,07%), João Pessoa (-4,46%) e Curitiba (-2,66%).

Dentre as cidades mais relevantes no cálculo do Índice FipeZap, São Paulo apresentou uma alta acumulada de 2,26% em 2019, enquanto o comportamento dos preços no Rio de Janeiro foi de queda (-2,25%).

Em dezembro, o valor médio de venda de imóveis nas 50 cidades monitoradas alcançou R$ 7.235 por metro quadrado. O Rio de Janeiro se manteve como a cidade brasileira com o m² mais valorizado do país, a R$ 9.331, seguida por São Paulo (R$ 9.015), Balneário Camboriú (R$ 7.359) e Brasília (R$ 7.346).

Entre as cidades com o menor preço médio por m² estão Betim – MG (R$ 2.974), São José dos Pinhais – PR (R$ 3.429), Contagem – MG (R$ 3.729) e Pelotas – RS (R$ 3.848).

 

Cidades litorâneas

A valorização segue um padrão positivo para regiões litorâneas no Brasil, Itajaí, por exemplo, teve a segunda maior valorização imobiliária do país.

 

*Dados do Índice Fipe/Zap divulgados na última terça-feira (07/01/2020)

Fontes:

https://glo.bo/3047A16

http://bit.ly/2R2phKr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *